62º ENAGECEF

25


Cerca de 120 representantes de 31 AGECEF de todo o Brasil se reuniram na capital paulista.


A Associação de Gestores da Caixa Econômica Federal de São Paulo -AGECEF/SP foi, mais uma vez, a anfitriã do ENAGECEF – Encontro Nacional das Associações de Gestores da Caixa Econômica Federal, promovido pela FENAG Federação Nacional das Associações de Gestores da Caixa Econômica Federal.


Esta foi a 62ª edição, e cerca de 120 gestores, representantes das 31 AGECEF filiadas de todo o Brasil estiveram reunidos no Hotel Novotel São Paulo Jaraguá Conventions, de 15 a 17 de março de 2018, quando debateram suas condições de trabalho, relacionamentos institucional e parcerias, defesa da CAIXA e deliberações de mais de 40 propostas advindas da base. Aquelas aprovadas, durante o Encontro, serão encaminhadas à direção da Empresa.


Na primeira noite, a diretoria da FENAG realizou a tradicional reunião preparatória para organizar a agenda do 62º ENAGECEF. Previamente ao encontro, foram realizadas consultas públicas com as bases que expressaram suas demandas e encontros regionais de AGECEF na ocasião em que seus representantes se posicionaram sobre a concordância com as propostas elaboradas.


Solenidade de abertura


O presidente da AGECEF/SP, Ed Marcos Saba, saudou, agradeceu a presença e desejou debates profícuos às comitivas e autoridades que compuseram a mesa de honra na abertura do Encontro: Rita Serrano, Representante eleita dos empregados no Conselho de Administração da CAIXA; Jair Pedro Ferreira, presidente da FENAE; Fernando Turino, presidente da Associação Nacional de Engenheiros e Arquitetos da CAIXA Aneac; Álvaro Weiler, presidente da Associação de Advogados da CAIXA Advocef, Naran Peçanha de Araújo, Diretor de Tecnologia da Informação – DETEC da CAIXA; Maírton Antônio Garcia Neves, presidente da FENAG; DeosinedesMognato, presidente do Conselho Deliberativo da FENAG; Tatiana Saito, diretora regional da Associação de Auditores da CAIXA de São Paulo Audicaixa e Rumiko Tanaka, Coordenadora Nacional de Negociação da Confederação Nacional dos Trabalhadores nas Empresas de Crédito – CONTEC.


Maírton Antônio Garcia Neves (AGECEF/CE), presidente da FENAG, também cumprimentou os presentes pela participação, referendou Rumiko Tanaka pelo espírito feminino de luta, exaltou o gigantismo da CAIXA e a diversidade de entidades representativas de empregados que possibilitam debates plurais, amplos e profundos. Maírton também ressaltou o valor desta união e convocou todos a pensar no que podem fazer pela Fundação dos Economiários da Caixa Econômica Federal – FUNCEF citando um provérbio oriental: tempos difíceis fazem homens fortes. Homens fortes trazem tempos fáceis. Tempos fáceis trazem homens fracos. Homens fracos fazem tempos difíceis. Então, bom que aqui estamos. Agora, podemos fazer algo pela Fundação: escolher nossos gestores. Somos responsáveis por nosso patrimônio e nosso futuro. Façamos nossa parte.


A presidente do Conselho Deliberativo da FENAG, DeosinedesMognato (AGECEF/ES), igualmente agradeceu aos colegas por se deslocarem de longas distâncias para participarem do evento, enfatizou a relevância das pautas mencionando a situação e as eleições FUNCEF, as queixas do Saúde CAIXA sobre autorizações e reembolsos, cotidiano, estruturas e processos das redes e a responsabilidade desta geração de manter a CAIXA enquanto instituição totalmente Pública: que mantenhamos propostas coletivas de bem comum, porque para vencer desafios, é preciso unir forças, referenciando ao mote do encontro. Ainda, cumprimentou as participantes pelo Mês das Mulheres e pediu um minuto de silêncio em memória da vereadora do Rio de Janeiro, Marielle Franco: não se trata de um ato isolado. Ela falava por toda a sociedade.


Palestra magna : A Jornada do Herói


O professor Claudio Queiroz proferiu a conferência magna :A Jornada do Herói, sobre a teoria do monomito de autoria do antropólogo estadunidense Joseph Campbell (1904  1987). O ex-gestor e atual instrutor gerencial e formador da CAIXA explicou os três atos da jornada cíclica dos mitos por quais todas as pessoas passam e, como exemplo, narrou sua própria trajetória na Empresa. O professor falou sobre o impacto que os heróis exercem sobre as pessoas ao superarem adversidades, suas capacidades de resiliência e a escassez de referências chamando os gestores à responsabilidade de liderar: carecemos de heróis, de líderes. Precisamos de pessoas que nos inspire, estimule e conduza ao futuro que almejamos. Nós, gestores, temos a essa responsabilidade.